Os LGBTs mais ricos do mundo no ano de 2017

A famosa lista das pessoas mais ricas do mundo da revista “Forbes” inclui gays poderosos e bilionários!

Adicionado em: 02/04/2018 Compartilhe no WhatsApp

A revista Forbes publicou a lista das pessoas mais ricas do mundo em 2017, entre eles diversos homossexuais, que se destacam pela persistência, criatividade e trabalho, e principalmente assumindo ser quem são!

Peter Thiel, 46 anos, é muito bem conhecido por ter sido o primeiro investidor profissional do Facebook. Em 2004, pagou 500.000 dólares por 10% da empresa. Foi, também, cofundador do PayPal e tem cerca de 12% da empresa de tecnologia Plantir. Com uma quantia estimada em US$ 2,7 bilhões em 2017, classificou-se como a 745a. pessoa mais rica do planeta. Ficou conhecido por ser um grande apoiador do presidente Donald Trump, doando para a campanha eleitoral mais de um milhão de dólares. Quem pode, pode!

Jennifer Pritzker, de 62 anos, nascida James, anunciou, em agosto de 2013, que assumiria de vez sua vida como mulher. Tenente-coronel aposentada do exército, e uma das herdeiras da família Pritzker, tornou-se bilionária com a venda da rede de hotéis Hyatt.  É considerada a pessoa transgênero mais rica do mundo. Jennifer foi uma das vozes mais ouvidas em críticas contra a decisão do presidente Trump de impedir pessoas transgênero de fazer o exército.

Michael Kors estreia na lista de bilionários da Forbes. O fundador da grife de roupas feminina que leva seu nome, Kors, viu sua fortuna subir a partir de 2011. Mas começou a ficar conhecido pelo público fora dos Estados Unidos em 2004, ano de sua estreia como jurado do reality show Project Runway. A marca Kors fez um longo e difícil caminho até chegar ao topo do sucesso. Foram quase 30 anos de dificuldades, chegando por vezes, a beira da falência. Hoje, suas bolsas competem com marcas famosas, chegando ao excepcional lucro anual de US$20 bilhões.

Jann Wenner tem uma fortuna calculada em US$700 milhões, e a fama dele vem da revista Rolling Stone, que fundou, e também a Men’s Journal e a US Weekly. Sem dúvida alguma, é um dos grandes gurus da mídia americana e mundial. Nascido em 1946, foi casado com Jane Schindelheim durante 38 anos e teve 3 filhos com ela. Em 1995 eles se separaram e aí inicia seu relacionamento com Matt Nye, e está com ele até hoje. Apesar de manter um casamento hétero, amigos e pessoas mais próximas, desde os anos 60 sabiam que Wenner era gay.

David Geffen é considerado um dos gays mais poderosos do mundo. Fundador da Asylum Records e da Geffen Records, ele assinou e promoveu nomes como The Eagles, Tom Waits ou Bob Dylan. Anos mais tarde, depois de vender a Asylum por uma fortuna, criou a Geffen Records, responsável pelo último álbum de John Lennon antes de ser assassinado. Outros nomes de sucesso:  Guns N’ Roses e Nirvana. É, ainda, cofundador do estúdio de cinema DreamWorks, investimento milionário, no valor de U$7,4 bilhões. Atualmente está aposentado, mas sua fortuna está convertida em ações e em coleções privadas de obras de arte estimada em 2 bilhões de dólares.

Chris Hughes foi um dos personagens mais importantes no início do Facebook mas não ficou muito tempo na rede social, o suficiente, no entanto, para ficar com uma imensa fortuna. Casou com Sean Eldridge, político e ativista gay, em 2012.

Jon Stryker, 55 anos, é um dos herdeiros de Homer Stryker, o médico cirurgião inventor da cama móvel de hospitais e fundador da fabricante de equipamentos médicos Stryker Corp. Ele é o fundador da Arcus Foundation, uma organização que apoia o avanço dos direitos homossexuais pelo mundo. Stryker também é um dos maiores doadores do mundo para movimentos LGBT.

De nacionalidade britânica, Christopher Bailey, é um CEO gay ligado à moda. Foi designer de moda feminina na Donna Karan e na Gucci, até aceitar a pesada tarefa da Burberry. Sua recente saída da Burberry não rebaixou em nada a sua enorme fortuna, até deve aumentá-la, pois está prestes a cortar todos os laços com a empresa e haverá negociações a esse respeito.

De nacionalidade italiana, Stefano Gabbana dispensa apresentações, é dono da metade de uma das grifes mais reconhecidas do mundo há décadas, a Dolce&Gabbana. Foi casado com seu sócio Domenico Dolce, hoje separados no amor, mas ainda juntos no trabalho.

Junto com Stefano Gabbana, Domenico Dolce, é cofundador da marca das mais famosas e poderosas no mundo da moda. Os dois envolveram-se com a justiça italiana, por deixar de pagar 277 milhões em impostos, evasão fiscal da qual foram absolvidos, depois de contestarem a situação.

O mestre do design de moda da Itália, Giorgio Armani se tornou um dos estilistas e empreendedores mais ricos do mundo. Um dos maiores motivos para o sucesso foi o seu famoso perfeccionismo. E sim, ele é homossexual assumido, nunca deixou dúvidas nem escondeu essa escolha, e além de influenciar, inspirou outros homossexuais a quererem obter o poder sendo o que de fato são. O icônico designer de moda, Giorgio Armarni, cresceu em uma família italiana pobre, antes de deixar a universidade e trabalhar como vitrinista. Sua grande chance veio com o filme Gigolô Americano, cujo figurino foi feito por ele. Aos 82 anos é proprietário de uma fortuna avaliada em US$7 bilhões.

Os LGBTs mais ricos do mundo no ano de 2017

Michael Kors, dono da marca que leva seu nome, fez um longo caminho até chegar ao sucesso. Sua grife é uma das mais luxuosas do mundo da moda. (Foto: Internet)

0 COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
* O seu comentário passará por uma moderação antes de ser exibido no site.

Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, sem autorizaçao escrita do 'Ponto Gay' ou do detentor do copyright. Os textos e as imagens (fotos, ví­deos, ilustrações, etc.) de todas as páginas do 'Ponto Gay' são protegidas pela LEI DO DIREITO AUTORAL, não sendo permitidas cópias ou divulgações por qualquer motivo ou justificativa, nem mesmo com autorização das(os) modelos. Infratores serão punidos na forma da lei.